segunda-feira, outubro 30, 2006

Aparição

É asas abertas e fogo

descendo todo inefável.

A estas costas se posta.

E em seu abraço terrível

eu sou por inteiro enlaçado.

O queixo em meu ombro apóia,

lançando olhos sublimes

e incomum gravidade

por todos os meus arredores,

por todos os meus pobres lados.


Falar-te-ei de mistérios,

parábolas do já falado,

desde o início cantado,

“o sonho preanunciado”.


Teus olhos sejam para veres;

ouvidos, para escutares:

a mesma idéia é o que trago

vestido em trajes lunares.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home